• Aldomar de Castro

Editorial

A comunidade tradicionalista do Rio Grande do Sul, exercita uma constante busca de informações, sobre a origem das nossas raízes, sobre a base da cultura que reúne nativos, imigrantes e migrantes, sobre um mesmo estado de espírito que serve o seu semelhante, com a simples intenção de servir. Tem como predicado maior a hospitalidade e procura viver a essência atávica dos que nos antecederam nestes pagos e souberam mantê-lo unido para vivermos com orgulho de termos nascidos Gaúcho. Eis-nos reunidos neste recanto sulino, por onde cruzam todos os corredores e trilhas que formam a malha viária da querência que ainda é a sentinela indormida da fronteira Meridional da Pátria. Temos o culto das nossas Tradições como o fogo dos galpões aparentando para o desinformado, a mornura tranqüila das cinzas esbranquiçadas que emolduram o cerne do cálido pai-de-fogo que permanece atento como guardião dos usos e costumes da nossa gente. Falta-nos, sobremaneira, maior disponibilidade de informação. Nossa bibliografia ainda não está, satisfatoriamente, preenchendo a necessidade para todos os interessados, especialmente na nossa Região. Esta carência, fez com que um grupo de pessoas fossem a campo, em busca de uma solução para preencher essa lacuna. Estudaram e concluíram que a melhor alternativa seria criar um veículo de comunicação que informasse sobre a cultura do Rio Grande do Sul e, concomitantemente, desse ciência dos eventos culturais e sociais da Região. Assim, a legião de tradicionalistas teria sempre a mão, o que acontecesse ao seu redor. Desta forma, não lhes faltaria olada para encher os peçuelos de atividades tradicionalistas programadas e desenvolvidas pelas Instituições filiadas ao Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul. Com,o produto final do trabalho desenvolvido pelo grupo, chega dando ” Oh! de casa” – O CHASQUE – Jornal Regional, que nasce com o Terceiro Milênio, para satisfazer o desejo da comunidade tradicionalista e mantê-la informada sobre sua cultura e seus eventos.

CHEIA DE OUTURBO DE 2008.

CALTARS – ” TO”

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O mundo é um complexo de seres, Que um sempre depende de outro. Ninguém consegue viver neutro, Para desenvolver seus afazeres. Há relacionamento entre poderes, Que forma uma fiel dependência. Longínqu

P I X U R U M Tenho setenta e nove  anos de idade, sou filho de pequeno agricultor nascido e criado no município de Sobradinho, assentado na região centro-serra do Estado do Rio Grande do Sul, até os

O poncho usado no Pampa, De cor azul ou cinzenta. Forrado a baeta aparenta, O que neste estilo se estampa. Redondo como uma tampa, Com uma abertura no centro. O usuário fica por dentro, Com o movime