• Aldomar de Castro

Lembranças

CHEGOU DESPACITO E FICOU,

NAS PLAGAS COMO SEU DONO.

ERA LINDO VER O ENTONO,

DO PIÁ, DO MOÇO, DO TAITA.

POR ENTRE ACORDES DE GAITA,

E SUA MENTE PREVILEGIADA.

SE CONSAGROU NA PAYADA,

E COMPOSIÇÕES MISSIONEIRAS.

DESFRALDOU ESTAS BANDEIRAS

ORGULHA DA GAUCHADA.

DECLAMOU PAYADAS E ESCREVEU,

COM BRIO, TALENTO E VISÃO.

POIS, “DE FOGÃO EM FOGÃO”,

PASSOU A QUERÊNCIA PAMPEANA,

MONARCA DE ESTILO BUERANA,

LOGO VEM “GALPÃO DE ESTÂNCIA”,

COM MAIS RECHEIO E SUBSTÂNCIA,

“POTREIRO DE GUACHOS”, APARECE.

“VOCABULÁRIO PAMPEANO”, É PRECE;

E DÁ INFORMAÇÕES EM ABUNDÂNCIA.

SUAS OBRAS SÃO MANANCIAIS,

DA NOSSA CULTURA GAUDÉRIA.

CADA QUAL DELAS, MAIS SÉRIA,

AO ESTILO DE SEU AUTOR.

NA TRADIÇÃO FOI DOUTOR,

FOI TAPEJARA EM REPENTE.

PARA OS QUE ESTIMAM O PAGO.

NÃO FOI POR FALTA DE AFAGO,

QUE HOJE SE ENCONTRA AUSENTE.

NÃO HÁ RINCÃO QUE NÃO TENHA,

ALGUMAS DE TUAS POESIAS.

ESCREVER SEMPRE PODIAS,

SEM MEDIR DIFICULDADE.

COM ORGULHA E SEM VAIDADE,

ABRISTE MUITOS CAMINHOS,

FLORIDOS E SEM ESPINHOS;

PARA QUEM PEDIA CARONA.

A SORTE NÃO ABANDONA,

OS QUE CONSEGUEM PADRINHOS.

BONDADE TINHA DE SOBRA,

E PREPARO MAIS QUE O PRECISO.

JAMAIS CALCULOU PREJUÍZO,

DOS DOTES E DO QUE FEZ.

CADA UM TINHA SUA VEZ,

NA SENSATEZ DO COMPANHEIRO.

DA VARANDA PARA O TERREIRO,

BUSCAVA O CAMINHO ASTUTO.

NUNCA HAVERÁ SUBSTITUTO,

PRA O PAYADOR MISSIONEIRO.

MIL GRACIAS. TE AGRADEÇO,

EM NOME DOS QUE AQUI ESTÃO.

QUE TE RECEBE, O PATRÃO,

E TENHAS LUGAR DE DESTAQURE.

POIS NÃO SE MUDA O SOTAQUE,

DO QUE FIZESTE E AQUI FICA.

SÓ TU MESMO JUSTIFICA.

FOSTE TAITA SEM SER MAU,

JAYME CAETANO BRAUN,

O RIO GRANDE TE GRATIFICA.

NA MISSÃO DE DAR CIÊNCIA,

SE OPUVE, SE VÊ E SE ESCREVE.

SEM A INTENÇÃO DE SER BREVE,

NEM CISMA DE SER EXTENSO.

É PRÁ REGISTRAR, O QUE PENSO

SOBRE A PERDA DESTE VALOR;

QUE DEDICOU TANTO AMOR

ÁS GENTES E A TERRA NATAL.

REGISTRA A “VIDA REGIONAL”,

SAUDADES; DO POETA PAYADOR.

MINGUANTE DE AGOSTO DE 1999.

CALTARS – “TO “

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

PEDIDO DE AMIGO

AQUI NO PAMPA O CAVALO, É O COMPLEMENTO DO CAMPEIRO. INCONSCIENTE FIEL ALDRABEIRO, ARREMATANDO O QUE FALO. SÓ O DONO PODE ENCILHÁ-LO, POR TRADIÇÃO E RESPEITO. NUNCA FORMA PRECONCEITO, CAMPÔNIO

Avejão

GUARDIÃO DO ESPAÇO NATIVO, QUE A MÃE NATUREZA EMPRESTA. ENCONTRO SEMPRE UM MOTIVO PARA CONSERVAR O QUE RESTA, NESTES PAGOS AONDE EU VIVO, TEATINO NENHUM ME MOLESTA. ME CRIEI COM A BRISA PAMPEANA, VEND

Ascenso

NA TERRA DA ERVA MATE, NASCE UM TAURA MONARCA, JÁ CARREGAVA SUA MARCA, TEMPIANDO ACONTECIMENTOS. COM A SABEDORIA NOS TENTOS, RUMAVA PARA A UNIVERSIDADE. POIS SÓ FALTAVA OPORTUNIDADE, DE MOSTRAR SEU PO